Seja a mudança que você quer ver no mundo

2 Comments

É muito fácil falar. Tem sempre alguém para criticar o que os outros estão tentando fazer de bom. Mas e colocar a mão na massa e fazer um mundo melhor que é bom?

A grande verdade é que cada um de nós é responsável por transformar  a situação que vivemos hoje. Não importa qual a causa escolhida. Quer ajudar velhinhos, crianças, doentes, animais? Tanto faz. O que realmente importa é FAZER. Se você cuida de uma parte, o outro cuida de outra e assim sucessivamente, todos saem ganhando. Doe seu dinheiro e, se não tiver, doe seu tempo, seu talento.

Inspirado no livro infantil Quando nasce um monstro, o ótimo filme de um minuto Mimimi foi criado para o projeto Reclame Multishow por Um mundo melhor.

O mundo não é uma utopia e sim uma sucessão de pequenas escolhas. Pare de #mimimi e vire #gentequefaz.

::::::::

Leia também:

Advertisements

5 motivos para dormir bem e o que isso significa

Leave a comment

Dormir é atividade preferida de boa parte das pessoas. Principalmente daquelas que têm boas noites de sono. Existem muitas razões para que isso aconteça – todas elas relacionadas aos benefícios que recebemos em troca ao dormir bem.

Mas o que é ter um sono reparador? A ciência mostra que dormimos em ciclos de sono compostos por cinco estágios que variam durante a noite categorizados em graus de intensidade. O estágio 1 é classificado como leve e pouco reparador, pois os músculos, embora parados, ainda não estão relaxados. No estágio 2, um pouco mais profundo, a temperatura do corpo começa a baixar, respiração e batimentos cardíacos desaceleram. O verdadeiro descanso inicia a partir do estágio 3, quando o cérebro começa a gerar ondas delta, mostrando que entrou em fase de recuperação. O próximo estágio, com alta produção de ondas delta, é o mais profundo de todos, com respiração ritmada e muito pouca atividade muscular, ou seja, ficamos mais parados, sem muita movimentação na cama – é nessa fase que o organismo realmente se repara das atividades físicas e mentais que realizamos. No estágio 5, reconhecido pelo rápido movimento dos olhos – é o momento em que acontecem os sonhos, os batimentos cardíacos aumentam um pouco e por isso não é considerado um estágio reparador. Quem já passou a noite toda sonhando sabe que quando isso acontece as chances de se estar mais cansado ao acordar do que quando se foi dormir são altas.

Os ciclos duram em média uma hora e meia, se repetindo durante o tempo em que dormimos. E é por esse motivo que se recomenda períodos de 3 horas (dois ciclos completos) como parâmetro para se escolher a hora de acordar. Dessa forma, o corpo pode ser despertado quando se está em sono leve – segundo especialistas é o melhor momento. Normalmente, é melhor dormir 6 horas do que 7, ou 9 horas do que 10.

Para entender melhor o seu sono sem precisar fazer exames complicados em institutos especializados eu recomendo (porque uso e gosto muito) o aplicativo para celular chamado Sleep Cycle. Ele é gratuito e, colocado no colchão à noite, mede o nível de atividade muscular e a partir dessa informação identifica os ciclos de sono, acordando o usuário no momento em que seu sono está mais leve e dizendo qual foi a qualidade de sua noite em percentagem ao analisar se o sono foi profundo o suficiente para descansar o corpo e a mente. Além disso, é possível inserir notas personalizadas como “fiquei até tarde no computador“, “comi antes de deitar“, “crise alérgica“, “fui treinar hoje” (ou o que você quiser) para serem marcadas antes de acionar o aplicativo – depois de alguns dias além de analisar o sono, ele cruza as informações e diz quais delas são boas e quais são ruins para aquele usuário em questão.

This slideshow requires JavaScript.

Outra dica baseada na fisiologia humana é que é mais fácil ter um sono reparador quando os estágios mais profundos do primeiro ciclo de sono acontecem entre 23h e 2h. Para isso é preciso estar na cama, para dormir, no máximo às 22h30. Nada de ficar noite afora vendo tevê ou ter como rotina baladas noturnas. Você pode até dormir muitas horas quando voltar, mas não vai ser a mesma coisa.

Agora, depois de entender como a coisa toda funciona, que tal descobrir ou relembrar (pra quem já sabe, mas não pratica!) 10 bons motivos para prestar mais atenção à qualidade das horas que você passa reparando seu organismo?

  1. Deixa você mais bonita. Sabe aquilo que sua avó chamava de “sono de beleza”? Não é lenda. Quem dorme melhor fica com uma aparência mais descansada. Sem o período reparador, o corpo produz hormônios que são associados ao estresse, causando palidez, aumento das rugas, olheiras e inchaços – e se acelera a produção de radicais livres, os responsáveis pelo envelhecimento precoce. Ao mesmo tempo deixa de liberar o GH, hormônio do crescimento, que em adultos evita a flacidez e promove a renovação dos músculos.
  2. Emagrece. Não é mito. O maior gasto calórico que acontece enquanto estamos dormindo é causado pela regeneração do cérebro. Esse mocinho é uma verdadeira caldeira de energia, responsável por 20% de todo o seu gasto diário de calorias – boa parte delas durante seu processo de manutenção noturno. Mas para isso é preciso chegar ao estágio mais profundo de sono (aquele mais reparador, lembra?) várias vezes durante a noite, se não nada feito. Pra piorar, quem dorme mal fica com o metabolismo lento, o que ajuda no acúmulo de gorduras localizadas, e come mais no dia seguinte, pois não consegue metabolizar o hormônio leptina, que controla o apetite. Um estudo da Case Western Reserve University, nos Estados Unidos, mostrou que mulheres que dormem cinco horas ou menos por dia têm 32% mais chances de engordar quando comparadas a outro grupo, habituado a dormir cerca de sete horas diárias;
  3.  Melhora o humor. Dormir bem diminui a produção de cortisol, hormônio liberado em situações de estresse e associado a uma descarga de glicose na corrente sanguínea, deixando as pessoas mais tranquilas e aumentando por consequência o bom humor. As dificuldades do sono trazem cansaço, irritação e ansiedade;
  4. Facilita o aprendizado e potencializa a memória. Durante o descanso, ocorre a síntese de proteínas responsáveis pelo desenvolvimento das conexões neurais, melhorando habilidades como memória e aprendizado. À noite o cérebro faz uma varredura nos dados acumulados, descartando os supérfluos e guardando os importantes. Também é durante o sono que fixamos o que aprendemos – por isso quem dorme mal, geralmente, sofre para se lembrar de coisas simples, como episódios ocorridos no dia anterior ou nomes de pessoas próximas;
  5. Aumenta a expectativa de vida. Um estudo realizado pela American Academy of Sleep Medicine (Academia Americana de Medicina do Sono) mostrou que dormir bem é um dos segredos para viver mais. Ao analisar 2.800 pessoas, foi comprovado que entre os 65% que relataram qualidade de sono boa ou muito boa, com tempo médio diário de sono de 7,5 horas (incluindo cochilos), os mais velhos eram maioria. Aqueles com 100 anos ou mais, eram 70% mais propensos a uma boa qualidade de sono do que os participantes mais jovens, de 65 a 79. A insônia, por sua vez, aumenta em três vezes os riscos de morte em comparação com quem dorme boas horas de sono, segundo pesquisa do americano National Heart Lung and Blood Institute (Instituto Nacional do Pulmão e do Sangue), com mais de duas mil pessoas.

Como se vê (ou lê, se você preferir ser mais assertivo), sua beleza e, principalmente, sua saúde podem dar um alto salto em qualidade apenas com a melhora do sono. Nem é tão complicado assim mudar. Basta um pouco de organização e comprometimento.

Pra terminar, uma dica bem legal pra dormir melhor que uso e funciona sempre: pingue cerca de 5 gotas de óleo essencial de bergamota em um pedaço de algodão e deixe próximo da cabeceira da cama antes de deitar (coloque em cima de algo plástico ou de um pratinho pra não manchar o que estiver embaixo). Repita por três a sete dias. Depois volte aqui pra me contar. ;-)

E boas noites.

::::::::

Leia também:

Como diminuir o sódio da alimentação

Leave a comment

O brasileiro é um dos povos que mais acrescenta sal ao prato quando come. Isso não seria tão perigoso se fosse a única fonte de sódio que ingerimos, mas, nos dias de hoje, ele está presente em praticamente todos os alimentos processados à disposição nos supermercados. Isso acontece porque, além de dar gosto, ele conserva a comida por mais tempo dentro das embalagens. Até no leite tem sal, pasmen.

Quando se junta o saleiro na mesa e as imensas quantidades de sódio usadas pela indústria alimentícia, aí sim a coisa complica muito. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que não se ultrapasse 5 gramas da substância por dia. Não é muito, cerca de uma colher de chá de sal. A média brasileira é de 12 gramas. Um copo de 200 ml de leite tem cerca de 130 mg de sódio, 325 g (meia unidade) de lasanha congelada de quatro queijos tem 1284 mg e um pacote de macarrão instantâneo de galinha, incríveis 1951 mg – ou metade da quota diária recomendada como saudável.

As consequências dos altos teores de sódio na alimentação moderna são graves: hipertensão, problemas renais e cardíacos. Hoje, no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, a hipertensão atinge 24,3% da população. Para evitar que a situação piore o Ministério da Saúde e a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia) colocaram em prática um acordo firmado em 2011, para garantir a redução do teor de sódio nos alimentos. O objetivo é que nos próximos quatro anos a quantidade do produto seja reduzida em até 68% em alguns laticínios, embutidos e refeições prontas.

Enquanto isso vira realidade (vocês sabem que por aqui as coisas costumam demorar um pouco), saiba algumas medidas que ajudam a reduzir o consumo diário de sódio:

  • Prefira os alimentos naturais, preparados em casa, e acostume a colocar cada vez menos sal na comida. As papilas gustativas presentes na boca, e que identificam o gosto salgado, demoram cerca de três meses para se adaptar a uma dieta com redução de sal.;
  • Leia sempre o rótulo nas embalagens dos produtos processados e escolha aqueles que possuem baixos teores da substância. Se a quantidade em 100 g for maior do que 400 mg, o alimento é considerado rico em sódio;
  • Os adoçantes estévia, sucralose e frutose não possuem sódio. Melhor ficar com eles se você usa esse tipo de produto;
  • Para enlatados, como por exemplo atum, milho ou palmito em conserva, a dica é remover o excesso de sal deixando os alimentos de molho em água fresca por uma hora antes do consumo;
  • Evite embutidos e defumados pois a quantidade de sódio é muito alta;
  • Prefira temperar os alimentos com ervas desidratadas, pimenta, sucos de frutas e temperos naturais.

Com a ajuda da tabela abaixo é possível somar e ter uma ideia do quanto de sódio você costuma ingerir por dia.

Alimento
Porção
Quantidade de sódio
1. Macarrão instantâneo de galinha
1 pacote, 85 g
1 951 mg
2. Macarrão instantâneo de carne em copo
1 unidade, 64 g
1 859 mg
3. Lasanha congelada à bolonhesa
1/2 unidade, 325 g
1 734 mg
4. Tempero pronto para arroz
1 col. de chá, 5 g
1 645 mg
5. Macarrão instantâneo de galinha em copo
1 unidade, 64 g
1 642 mg
6. Carne-seca cozida
100 g
1 443 mg
7. Macarrão instantâneo de carne
1 pacote, 85 g
1 389 mg
8. Lasanha congelada de quatro queijos
1/2 unidade, 325 g
1 284 mg
9. Bacalhau refogado
100 g
1 256 mg
10. Caldo de carne
1/2 cubo, 4,5 g
987 mg
11. Caldo de galinha
1/2 cubo, 4,5 g
979 mg
12. Tempero pronto para feijão
1 col. de chá, 5 g
935 mg
13. Mistura para sopa instantânea de cebola 1 col. de sopa, 11 g
899 mg
14. Molho à base de soja 3 col. de chá, 15 ml
855 mg
15. Mistura para sopa instantânea de galinha e macarrão
2 col. de sopa, 19 g
855 mg
16. Misto-frio 1 unidade, 110 g
806 mg
17. Frango à milanesa recheado congelado
1 unidade, 130 g
789 mg
18. Nuggets de frango
5 unidades, 130 g
742 mg
19. Ovinhos de amendoim
3 col. de sopa, 45 g
687 mg
20. Sardinha em conserva
4 unidades, 100 g
666 mg
21. Hambúrguer de carne
1 e 1/2 unidade, 80 g
583 mg
22. Queijo parmesão
1 fatia, 30 g
553 mg
23. Hambúrguer de frango
1 unidade, 80 g
421 mg
24. Bacon
1 fatia, 20 g
384 mg
25. Frango à passarinho congelado
2 e 1/2 unidades, 100 g
324 mg
26. Pão francês
1 unidade, 50 g
320 mg
27. Extrato de tomate pronto
3 col. de sopa, 60 g
316 mg
28. Batata chips ondulada 3 xícaras, 50 g
308 mg
29. Patê de sardela pronto
2 col. de sopa, 40 g
280 mg
30. Torradinhas para canapés
15 unidades, 30 g
268 mg
31. Batata palha
1 xícara, 50 g
262 mg
32. Pepino em conserva
1/4 de xícara, 50 g
255 mg
33. Bolacha de grãos integrais
7 unidades, 30 g
255 mg
34. Bolo de abacaxi pronto
1 fatia, 60 g
242 mg
35. Bisnaguinha
2 e 1/2 unidades, 50 g
239 mg
36. Bolo de chocolate pronto
1 fatia, 60 g
234 mg
37. Pão de fôrma integral
2 fatias, 50 g
234 mg
38. Bolacha salgada de queijo
3 unidades, 25 g
226 mg
39. Bolacha água e sal
7 unidades, 30 g
223 mg
40. Biscoito de polvilho
5 e 1/2 unidades, 15 g
203 mg
41. Tomate seco em conserva
2 col. de sopa, 40 g
200 mg
42. Pão de hot dog
1 unidade, 50 g
197 mg
43. Cereal matinal de chocolate
3/4 de xícara, 30 g
193 mg
44. Pão sírio
1 unidade, 50 g
184 mg
45. Cereal matinal adocicado tradicional
3/4 de xícara, 30 g
176 mg
46. Mistura para bolo de chocolate
3 col. de sopa, 35 g
175 mg
47. Queijo mussarela
1 fatia, 30 g
174 mg
48. Atum em conserva
1 col. de sopa, 45 g
163 mg
49. Bolinho de morango
1 e 1/2 unidade, 60 g
159 mg
50. Pão de fôrma
2 fatias, 50 g
150 mg
51. Molho de salada sabor parmesão
1 col. de sopa, 13 ml
134 mg
52. Leite integral
1 copo, 200 ml
130 mg
53. Leite desnatado
1 copo, 200 ml
130 mg
54. Achocolatado pronto
1 unidade, 200 ml
130 mg
55. Iogurte natural
1 copo, 200 g
128 mg
56. Maionese
1 col. de sopa, 12 g
126 mg
57. Bolacha de leite
6 unidades, 30 g
115 mg
58. Rosquinha de coco
6 unidades, 30 g
110 mg
59. Molho de vinagre balsâmico
1 col. de sopa, 12 ml
110 mg
60. Leite em pó
2 col. de sopa, 26 g
105 mg
61. Amendoim torrado
1 col. de sopa, 15 g
103 mg
62. Rocambole pronto
2 e 1/2 fatias, 60 g
103 mg
63. Queijo ralado
1 col. de sopa, 10 g
100 mg
64. Energético
1 lata, 250 ml
100 mg
65. Bolacha recheada de chocolate
3 unidades, 30 g
100 mg
66. Salgadinho de milho
2 e 1/2 xícaras, 25 g
96 mg
67. Bebida isotônica
1 copo, 200 ml
92 mg
68. Barrinhas de wafer recheadas e cobertas com chocolate branco
4 unidades, 30 g
91 mg
69. Bolacha de maisena
7 unidades, 30 g
89 mg
70. Catchup
1 col. de sopa, 12 g
89 mg
71. Chá de limão em lata
1 lata, 340 ml
86 mg
72. Bolacha doce sem recheio
5 unidades, 30 g
85 mg
73. Ricota
1 fatia, 30 g
85 mg
74. Barrinhas de wafer recheadas e cobertas com chocolate ao leite
4 unidades, 30 g
81 mg
75. Granola tradicional
1/2 xícara, 40 g
78 mg
76. Achocolatado com malte em pó
3 col. de sopa, 30 g
75 mg
77. Batata chips ao forno
1 e 1/2 xícara, 25 g
68 mg
78. Água de coco
1 unidade, 330 ml
66 mg
79. Pó de cappuccino
2 col. de sopa, 20 g
64 mg
80. Queijo de minas
1 fatia, 30 g
63 mg
81. Margarina
1 col. de sopa, 10 g
60 mg
82. Bolacha wafer de chocolate
4 unidades, 30 g
53 mg
83. Pão de mel
2 unidades, 30 g
51 mg
84. Achocolatado em pó
3 col. de sopa, 30 g
42 mg
85. Paçoca
1 unidade, 22 g
41 mg
86. Sorvete de flocos
1 bola, 60 g
37 mg
87. Bolacha wafer de morango
4 unidades, 30 g
36 mg
88. Castanha de caju
1 colher de sopa, 15 g
36 mg
89. Suco em pó
1 saquinho, 30 g
34 mg
90. Refrigerante tipo cola zero
1 copo, 200 ml
28 mg
91. Chocolate branco
3 e 1/2 quadradinhos, 25 g
26 mg
92. Espaguete
1 prato, 80 g
20 mg
93. Barra de cereais com chocolate
1 unidade, 22 g
19 mg
94. Refrigerante de limão
1 copo, 200 ml
15 mg
95. Suco de soja de frutas
1 copo, 200 ml
13 mg
96. Arroz integral
1/4 de xícara, 50 g
12 mg
97. Chocolate ao leite
3 e 1/2 quadradinhos, 25 g
11 mg
98. Refrigerante tipo cola
1 copo, 200 ml
10 mg
99. Néctar de uva
1 copo, 200 ml
4,8 mg
100. Água mineral
1 garrafa, 500 ml
0,55 mg

::::::::

Leia também:

Acorde mais cedo e não perca treinos

2 Comments

No começo foi difícil. Eu, que sou uma pessoa bem diurna e acordei muito cedo por boa parte de minha vida, tive problemas em acordar cedo para ir treinar.

Com as mudanças na rotina depois que terminei colégio/faculdade e, de uns anos pra cá, o sedentarismo, normalmente acordava por volta das 8h. Sei que pra muita gente isso já é cedo, mas pra mim eram duas horas a mais. Quase de forma automática meus horários foram todos jogados pra frente e acabei acostumando a ir dormir mais tarde também – que é muito ruim para o sono (logo mais escrevo um post sobre isso aqui no blog).

Quando comecei a ir ao parque de manhã, o sofrimento foi grande. Mas nada que um bom planejamento não possa modificar para melhor, não é mesmo?

O truque para reverter a situação foi colocar o despertador para tocar cada dia um pouquinho mais cedo. E quando eu digo “um pouquinho” quero realmente dizer alguns minutos por dia: 7h55 no primeiro, 7h50 no segundo e assim até chegar ao meu horário ideal de 6h.

Passei a fazer o mesmo para o meu horário de ir pra cama. Cada dia começava a desligar as coisas (computador, luzes forte etc) um pouco mais cedo. Ia sossegando o corpo com um bom banho morno, respirações abdominais profundas, mantras que adoro. Criei o meu “ritual do sono”, percebendo o que poderia ser perfeito para mim. Cada pessoa deve descobrir o que faz com que ela se sinta bem, tranquila, pronta para ter uma boa noite de descanso.

Demorou, mas valeu a pena. Agora acordo com muito mais facilidade, com mais energia e de bom humor. E quando chego ao parque e respiro fundo percebo porque adoro todas essas mudanças em minha vida: a brisa fresca da manhã, o cheiro delicioso dos eucaliptos, a energia boa de estar cuidando de mim.

Que tal acordar mais cedo e encontrar a sua motivação? :)

Correr cedo no parque

::::::::

Você também pode se interessar:

Alimentação: quando o inimigo mora em casa

2 Comments

Posso dizer, sem medo de errar, que durante esse tempo em que iniciei as transformações em minha vida, tem sido muito mais fácil ir correr no parque todos os dias do que conseguir convencer minha mãe – com quem moro – de que é preciso se preocupar também com o tipo de alimentação que preparamos em casa.

Ainda assim me considero em vantagem em relação a maioria das famílias brasileiras. Minha geladeira nunca teve refrigerantes e doces à disposição. Sempre comemos muitas frutas, legumes e vegetais. Mas tínhamos o açúcar e o sal muito presentes, mesmo que somente como condimentos.

Como não como carne vermelha desde pequena e minha mãe não é nada fã de cozinhar, isso acabou influenciando na comida de toda a família, que acabou sendo muito simples: arroz, feijão, saladas, legumes, leite e derivados, e frutas.

Mas estávamos longe da perfeição. Existiam as pizzas e os doces – e tantas outras coisas que eu nem mesmo imaginava quando era uma menina. Sorte que cresci antes de que a indústria alimentícia se transformasse no que temos hoje: um mundo de comidas processadas, cheias de aditivos químicos que apenas podemos imaginar ao ler os rótulos nas embalagens dos produtos.

Aqui o grande problema são basicamente os doces. E, como já vimos no post sobre o documentário canadense The Secrets of Sugar, ele não é pequeno. Apesar de não termos muitas opções dando sopa na despensa ou na geladeira (consegui eliminar a compra de achocolatados, leite condensado e afins), minha mãe é uma formiga e vive trazendo surpresas. Ontem, por exemplo, foram duas barras grande do meu chocolate favorito e um pacote de doce de leite, daqueles torrões duros, bem cheios de açúcar.

Apesar dos puxões de orelha e dos pedidos, não adianta. Ela continua comprando. Por mais forte que eu seja, fica complicado demais escapar sempre. De vez em quando acabo acordando no meio da noite com fome e adivinhem o que vou comer? Não sou perfeita e gostaria muito de ter a força de vontade das musas fitness que a gente vê pela internet, mas a verdade é que sou simplesmente a Monica, uma mulher que passou dos 40 e que briga com a balança sem trégua para conseguir recuperar o guarda-roupa que tanto ama.

Sei que vocês entendem o que eu quero dizer. Que já se viram nesse mesmo dilema de não gostar nada do que as pessoas que você ama estão fazendo a si próprias e a você também por tabela. Mas espero que ao ler o meu post e se juntar a mim a gente consiga encontrar a força para seguir em frente, para continuar acreditando que podemos vencer.

A tentação sempre vai estar por perto. Se acontecer um pé na jaca, não se afoguem nela, ok? Não desistam!

Foto © Don Mason/CORBIS

Foto © Don Mason/CORBIS

::::::::

Leia também:

Impacto dos quilos a mais nas articulações

Leave a comment

Estar acima do peso incomoda demais. Fica complicado encontrar roupas que sirvam e fiquem bem, se movimentar cansa e, como diria minha avó, a saúde vai pro brejo.

As articulações de nosso corpo – leia-se aqui joelhos e tornozelos, principalmente – sofrem a cada passada. Isso porque cada quilo extra em nosso corpo representa um impacto sete vezes maior quando nos exercitamos. Ou seja, se você está com 10 quilos de sobrepeso, suas articulações recebem 70 quilos de impacto além do que está preparado para receber cada vez que seu pé toca o chão enquanto você se movimenta.

É muito.

Comemore cada quilo eliminado. Além de fazer um bem enorme pra autoestima, emagrecer ajuda a preservar a sua mobilidade, sem dor, no futuro.

Descanso? Sim. Mas só depois de cumprir as suas metas. ;-)

"Pronto, mamái, agora a gente pode descansar, né?" :)

“Pronto, mamái, agora a gente pode descansar, né?” :)

::::::::

Leia também:

Domingo também é dia de se mexer

2 Comments

Quando a atividade física passa a fazer parte do estilo de vida e se transforma em um prazer ao invés de ser algo obrigatório, tudo fica mais fácil. O passeio de fim de semana no parque, na praia, na montanha – tudo é motivo para caminhar, correr ou andar de bicicleta.

Nada de pensar em sofrimento. Passamos a observar o caminho, a curtir os sons, os cheiros, o vento no rosto, o suor que tira as toxinas do corpo.

Exercício não precisa ser sinônimo de castigo. Muito pelo contrário, pode virar fonte de prazer. E quando isso acontece parece mágica. A gente tem vontade de repetir, sente falta quando não consegue cumprir as planilhas de treino e o organismo pede cada dia um pouco mais.

Não vira um vício, mas um hábito.

Olha eu aí embaixo, que não corria nem 100 metros sem parecer que o coração ia saltar boca afora, depois dos meus primeiros 3 km sem parar. E, se eu consegui, você também consegue, qualquer um pode, basta começar.

Um super domingo pra todos nós!

Comece devagar, mas não desista.  :)

Comece devagar, mas não desista. :)

Documentário mostra a verdade sobre males do açúcar

2 Comments

Durante muito tempo a ingestão de gorduras foi a grande vilã no cenário de quem buscava uma vida e um envelhecimento saudável. Enquanto isso, um mal muito maior tomava conta do mundo industrializado: o açúcar.

Para quem acha que não consome muito desse verdadeiro veneno para o organismo, mas continua ingerindo alimentos processados e industrializados, melhor pensar melhor. Praticamente tudo o que vem em pacotes, latas, caixinhas e similares tem uma grande quantidade de açúcar – mesmo que isso não esteja muito claro pra você no rótulo.

Além de ser usado como adoçante, o açúcar também é um dos mais potentes conservantes utilizados pela indústria alimentícia para fazer com que se possa guardar a comida no armário ou na geladeira por mais tempo. Depois que os americanos criaram o xarope de milho – ou corn syrup – nada mais escapa.

Infelizmente as pessoas não leem ou não sabem ler rótulos de ingredientes (o que é bastante complicado, não pense que você é burro por não conseguir) e as marcas bilionárias sabem disso e se aproveitam dessa ignorância para continuar viciando as pessoas.

Porque açúcar vicia, sim, e MUITO. E como todo vício ele acaba por destruir o nosso organismo de dentro para fora.

Esse documentário canadense chamado The Secrets of Sugar foi um dos melhores que vi até hoje sobre o assunto. Infelizmente é em inglês, mas, se você entende a língua e se importa com a sua saúde e da sua família (se você não liga, pense nos seus filhos e pessoas queridas), recomendo que se reserve um tempinho e se assista com atenção.

::::::::

Coloque o suco verde no seu dia a dia

Leave a comment

Ele é antioxidante, diurético e hidratante. O suco verde está conquistando cada dia mais adeptos e não é pra menos: colocar essas misturas naturebas no seu cardápio diário é sinônimo de mais disposição e beleza.

Começar o dia tomando um copo da bebida faz todo o organismo trabalhar melhor. É um aliado e tanto para quem quer emagrecer sem diminuir a quantidade de vitaminas recomendada. Trata a prisão de ventre como ninguém e diminui inchaços. A pele também agradece e fica muito mais brilhante. Os benefícios continuam: é energético e termogênico natural (o que acelera o metabolismo), alcalinizante, desintoxica e fortalece o sistema imunológico. Ajuda a controlar os níveis de colesterol, o diabetes e o estresse.

Muita gente reclama da dificuldade de fazer o suco verde todos os dias, já que ele deve ser tomado o mais fresco possível para manter as propriedades ativas. Um truque legal é preparar a receita verde base (no liquidificador: 1/2 talo de salsão, 1 ramalhete de hortelã, 1 maço de agrião, 1 maço pequeno de couve, um tiquinho de água pra ajudar na mistura) e congelar em formas de gelo. De manhã, quando acordar, é só pegar duas pedrinhas e bater com 200 ml de água e uma fruta da sua preferência, como maçã, melão, morango. Faça a sua mistura, tome sem coar e sem adoçante.

A boa notícia é que, além de que o número de restaurantes e lugares onde se pode tomar a bebida estar aumentando (veja a lista de locais no final do post), para quem vive em São Paulo, já existe um serviço especial de assinatura com entrega domiciliar. Isso mesmo, você paga um valor mensal (entre R$ 270 e 380, dependendo da quantidade) e todos os dias o suco verde é entregue, fresquinho, na sua casa.

A ideia é baseada no conceito de alimentação viva ou raw food (comida crua), criado no estado americano da Califórnia, que chegou ao Brasil por meio da empresa DoVivo. Os sucos são produzidos de madrugada e entregues aos clientes todos os dias úteis entre 3h e 6h da manhã. A receita mais completa utiliza 15 ingredientes diferentes e que variam, como: grama de trigo, grãos germinados, hortaliças, raízes, legumes e maçã. Com validade de no máximo 24 horas quando conservado em geladeira, é 100% natural, sem corantes, adoçantes ou conservantes.

Achei prático e sensacional. Pretendo provar. Depois volto aqui para atualizar o post e dizer o que achei pra vocês.

Suco verde DoVivo

Confira abaixo alguns dos locais onde já se encontra versões do suco verde em São Paulo.

  • Caramella Sucos Naturais. Suco de couve: couve, abacaxi, limão e água de coco. Rua José Paulino, 781, Bom Retiro, 11 3221-0256.
  • Desfrutti Alimentação e Saúde. Muitas opções no cardápio de sucos funcionais. Em 10 endereços em São Paulo.
  • Frutaria São Paulo. Detox: couve, pepino japonês, agrião, melão, maçã e raspa de gengibre. Avenida Helio Pelegrino, 100, Vila Nova Conceição.
  • Madureira Sucos. Saladão: à base de maçã, pepino, salsão, gengibre, limão, espinafre e hortelã. Tem endereços no Itaim Bibi, nos Jardins e na Vila Olímpia.
  • PÃO Padaria Artesanal Orgânica. Infelizmente o site está bastante desatualizado, mas segundo minha amiga linda Giselle Hermeto Salomé tem o melhor suco verde de SP (como confio muito nela, listei o local aqui). São vários endereços em bairros como Jardins, Vila Madalena e Vila Nova Conceição. 11 2193-2116.

::::::::

Anuncie no Segredos de Liquidificador

::::::::

Leia também:

Balança digital ajuda na dieta

Leave a comment

Pesar a olho a comida quando se está em reeducação alimentar pode ser perigoso para as curvas. Normalmente (você pode ser uma exceção, claro), a gente erra para mais, o que significa calorias indesejadas no prato e quilos que teimam em não ir embora no corpo.

Minha balança digital estava apagada há meses. Por pura preguiça, quando ia me servir, ia na intuição. Afinal não poderia estar tão errada para que a diferença pesasse – literalmente. Ontem tomei vergonha na cara e troquei a bateria. Pude comprovar que, infelizmente, meu “olhômetro” estava bem descalibrado…  :(

A única coisa que me deixou feliz foi que no peso da banana eu estava errando pra menos! hahahahaha! Eu sou muito macaca velha mesmo.

Brincadeiras à parte, a verdade é que eu estava sabotando meu programa de emagrecimento, mesmo que meio sem querer. Me matava pra gastar as gordurinhas e depois comia demais. Ou seja, a conta não estava positiva para o meu lado – a menos que eu quisesse que os números subissem no mostrador da minha balança do banheiro.

É importante que a balança seja daquelas pra pesar quantidades menores, pois são bem mais precisas e não queremos errar, verdade? Conforme for passando o tempo, você vai perceber que vai ficando mais claro quanto pesa cada porção de alimento – o que pode ajudar demais quando estamos comendo em restaurantes ou vamos a uma festa.

Investir em uma balança digital pode fazer toda a diferença no controle de calorias diárias

Investir em uma balança digital pode fazer toda a diferença no controle de calorias diárias

::::::::

Você também pode se interessar: